A classe de Quarterbacks de 2016

Getty Images
From left to right: Christian Hackenberg, Carson Wentz, Paxton Lynch, Jared Goff, Connor Cook.

Depois de muita insanidade, o Draft 2016 chega ao fim, foram 7 rodadas totalizando 253 jogadores escolhidos, bons nomes foram selecionados, outros nem tanto e muitas trocas foram feitas pelas franquias. É normal o Draft gerar muitas polemicas, essas serão debatidas durante toda a sombria off-season.

 
É no Draft que as franquias selecionam a maioria de seus jogadores, times mudam totalmente de uma temporada para outra, apenas com o Draft. É normal falar que um Draft bem feito pode levar a franquia a títulos, logico não na temporada seguinte, os “calouros” tem que se habituar com o ritmo profissional, mas em 2 ou 3 temporadas, um excelente Draft pode mostrar resultados.

 
A posição que tem a maior capacidade de transformar um time, é posição de Quarterback, mas este Draft não era visto como um recheado de excelentes nomes. Especialistas consideraram os melhores QBs apenas Jared Goff e Carson Wentz, e listarão como médio que vale a pena arriscar somente Paxton Lynch.

Jared Goff (Getty Images)

Mas as franquias de Los Angeles e o Philadelphia precisavam muito que um “salvador” para o ataque, por isso efetuaram trocas para subir no Draft. E o Rams selecionou Jared Goff e o Eagles ficaram com Carson Wentz, e o campeão do Super Bowl 50 ficou com Paxton Lynch, selecionado na 26º escolha da primeira rodada, após uma troca entre Broncos e Seahawks.

Paxton Lynch (Troy Taormina-USA TODAY Sports)

Os outros Quarterback selecionados foram:

(photo: Andrew Cutraro for ESPN The Magazine)

Christian Hackenberg (Penn State), New York Jets na 51º escolha geral. É um bom QB, tem altura ideal e tem boa velocidade pode ser um QB para o futuro da franquia, ou uma solução improvisada caso o Jets não renovem com Ryan Fitzpatrick.

 

(Mark Zerof / USA TODAY Sports)

Jacoby Brissett (North Carolina State), New England Patriots na 91º escolha geral. Tem bom braço, mas não compreendo porque um QB nesta escolha, mas deve ser para suprir a reserva de New England, já que Tom Brady deve cumpri suspenção.

 

(Jim O’Connor / USA Today Sports)

Connor Cook (Michigan State), Oakland Raiders na 100º escolha geral. Tem enorme potencial será uma boa “sombra” para Derek Carr.

 
Dak Prescott (Mississippi State), Dallas Cowboys na 135º escolha geral. É muito forte fisicamente, mas lhe falta técnica no lançamento, talvez será o futuro da franquia.

 
Cody Kessler (USC), Cleveland Brown na 93º escolha geral. Não tem tamanho ideal e seu braço e fraco para lançamentos em profundidade, mas apresenta confiança, vontade e está disposto a assumir riscos dentro do campo.

 
Cardale Jones (Ohio State), Buffalo Bills na 139º escolha geral. Bom tamanho para ver sobre a linha, e braço forte, não apresenta precisão no lançamento. Vai ser o reserva do médio Tyrod Taylor.

 
Kevin Hogan (Stanford), Kansas City Chiefs na 162º escolha geral. Apresenta Instintos, precisão e velocidade, mas será apenas reserva, já que o Eagles pagou um excelente salário para o reserva anterior.

 
Nate Sudfeld (Indiana), Washington Redskins na 187º escolha geral.

 
Jake Rudock (Michigan), Detroit Lions na 191º escolha geral. Apenas reserva.

 

Brandon Allen (Arkansas), Jacksonville Jaguars na 201º escolha geral.

Jeff Driskel (Louisiana Tech), San Francisco 49ers na 207 escolha geral. O tão sonhado QB, que irá levar o ataque as vitorias, pena que não é verdade.

 
Brandon Doughty (Western Kentucky), Miami Dolphins na 223º escolha geral. Ryan Tannehill que se cuide, pode ter um novo QB em Miami. Brincadeira galera.

 
Pensando na temporada de 2016, de todos os QBs selecionados, só terão uma chance como titular, dois ou talvez três. Certamente Goff e Wentz serão titulares, por serem escolhas altas, principalmente como estratégia de marketing. Outro que talvez tenha uma chance é Paxton Lynch, será encarregado de substituir o xerife Peyton Manning, já que o outro QB é Mark Sanchez, e sabemos do que ele é capaz, ou do que ele não é.

 
Ser uma escolha alta não significa sucesso na NFL, ou ser um jogador de sexta rodada será um fracasso certo. Algumas vezes um QB de primeira rodada, é dispensado no seu terceiro ano, e outro selecionado na 199º escolha geral conquista quatro Super Bowls.

 
Esse é um dos muitos motivos porque amo NFL.

 
Amigos leitores, agora temos um período negro agora na NFL, quase nada de importante acontece. É por isso que irei fazer textos sobre a maioria das franquias no decorrer deste período, fazendo previsões da temporada e comentando as escolhas no Draft, é uma maneira para nós não sentirmos tanta saudades na NFL.

 
Boa sorte a todos para enfrentar o lado negro da NFL, a off-season.

 

 

Leave a Comment