DALLAS COWBOYS – OFFSEASON 2013

Logo Dallas Cowboys - Futebol Americano NFL Pick6

O que mudou:

  • Sairam: Mike Jenkins, CB; Victor Butler, DE/OLB; Kenyon Coleman, DE/DT; Marcus Spears, DE/DT; Dan Connor, ILB; Gerald Sensabaugh, S; Kevin Ogletree, WR; John Phillips, TE
  • Contratados: Will Allen, S; Justin Durant, OLB
  • Continuaram: Anthony Spencer, DE/OLB; Ernie Sims, OLB; Danny McCray, S; Phil Costa, C
  • Draft: 31. Travis Frederick, G/C, Wisconsin; 47. Gavin Escobar, TE, San Diego State; 74. Terrance Williams, WR, Baylor; 80. J.J. Wilcox, S, Georgia Southern; 114. B.W. Webb, CB, William & Mary; 151. Joseph Randle, RB, Oklahoma State; 185. DeVonte Holloman, OLB, South Carolina

 

Análise:

Monte Kiffin Dallas Cowboys - Futebol Americano NFL pick6
Monte Kiffin assume como coordenador defensivo na tentativa de resolver todos os problemas da defesa do Dallas Cowboys. (Al Messerschmidt | Getty Images)

Mais uma temporada a expectativa em relação ao Dallas Cowboys é gigante, mas o time mais uma vez não conseguiu chegar aos palyoffs. A equipe de Dallas teve muitas dificuldades em fechar os jogos, e tomou algumas viradas nos últimos minutos. Logo que a temporada acabou, o Cowboys mandou embora o coordenador defesnivo Rob Ryan para contratar o lendário Monte Kiffin. Kiffin foi o criador do esquema defensivo conhecido como Tampa Cover 2, onde o middle linebacker também é usado na cobertura em profundidade quando ele percebe que a jogada será de passe. Com esse esquema, conquistou o SuperBowl XXXVII como coordenador defensivo do Tampa Bay Buccanneers em 2003. O novo coordernador irá mudar a defesa de um esquema 3-4 para o 4-3, e acredito que alguns jogadores precisarão se acostumar com a nova filosofia. Monte Kiffin chega com a finalidade de dar um jeito na defensiva do Cowboys que a muito tempo não vem jogando aquilo que se espera dela.

Diferente dos últimos anos, o Dallas não foi um time que gastou milhões durante a época de agentes livres. Com teto salarial muito apertado, o Cowboys deu mais atenção em renovar o contrato do quarterback Tony Romo, que venceria no fim da temporada. Ele estendeu seu contrato por mais 6 anos com um valor total de U$108 milhões. Dessa grana toda, U$55 milhões serão garantidos, e inclui também um bônus na hora da assinatura de U$25 milhões. Romo ficou extremamente milionário, apesar de ter ganhado apenas 1 jogo de playoff.

A equipe contratou apenas dois jogadores de outros time, o safety Will Allen que estava no Pittsburgh Steelers e o linebacker Justin Durant do Detroit Lions. Allen vem para adicionar experiência a um grupo jovem e inconstante de safeties. Provavelmente será um dos titulares do time. Justin Durant jogou sua carreira toda em times com uma defesa 4-3, e tem o perfil de linebacker que Monte Kiffin gosta para seu esquema Tampa-2. Deve ser usado para jogar ao lado de Sean Lee e Bruce Carter.

Apesar de ter contratado pouco, o time também não sofreu muitas baixas nesta offseason. O outside linebacker Victor Butler deixou a equipe para se juntar a Rob Ryan em New Orleans. Butler teve apenas duas partidas como titular, e com a mudança tática em Dallas ele não seria muito bem aproveitado. Os jogadores da linha defensiva Kenyon Coleman e Marcus Spears também não seriam muito bem aproveitados no estilo defensivo de Monte Kiffin. Coleman também se juntou a Ryan e Butler em New Orleans. Já Spears foi para o Baltimore Ravens, onde fará parte da rotação da linha defensiva. O cornerback Mike Jenkins trocou a equipe pelo Oakland Raiders. Jenkins foi uma escolha de primeira rodada de Dallas no draft de 2008, mas nunca jogou aquilo que se esperava dele. Talvez uma mudança de ares seja o que ele precise para desenvolver o seu melhor jogo. Com a chegada de Brandon Carr e Morris Claiborne, Jenkins viu seus minutos em campo caírem drasticamente e seus serviços se tornaram dispensáveis.

Terrance Williams Dallas Cowboys - Futebol Americano NFL pick6
Terrance Williams liderou a NCAA em jardas recebidas na última temporada. (Jamie Squire | Getty Images)

No draft deste ano o Dallas Cowboys chocou a todos quando trocou sua escolha de número dezoito na primeira rodada com o San Francisco 49ers, e selecionou o center de Winsconsin Travis Frederick. Com essa troca, o time deixou de selecionar alguns bons jogadores como o defensive tackle Sharrif Floyd, que poderia turbinar sua linha defensiva. A equipe precisava mesmo de um novo center já que Phil Costa é muito meia boca, e caso seja necessário o novato também pode jogar como guard. O Cowboys focou bem no seu ataque neste ano, selecionando o tight end Gavin Escobar na segunda rodada, o wide receiver Terrance Williams na terceira e o running back Joseph Randle na quinta. Escobar jogou pela Universidade de San Diego, onde foi um dos líderes do ataque. É melhor recebedor do que bloqueador, e vai ajudar Tony Romo a atacar o meio das defesas adversárias. Ao lado de Jason Witten formará uma das melhores duplas de tight end da NFL. Já Terrance Wiliams liderou a NCAA em jardas recebidas jogando pela Universidade de Baylor. Foram 1832 jardas em 97 passes recebidos. Vai disputar a vaga como terceiro recebedor do time com Dwayne Harris, e pode ter seus minutos em campo aumentados quando Miles Austin se machucar. Joseph Randle correu para 1417 jardas e 14 touchdowns na última temporada jogando pela a Universidade de Oklahoma State. Randle também é um bom recebedor, agarrou um total de 108 passes durante sua carreira na universidade, mostrando seu potencial para terceiras descidas. Deve conquistar a reserva direta de DeMarco Murray, já que Lance Dunbar e Phillip Tanner foram muito mal quando tiveram oportunidades de jogar no ano passado.

Para melhorar a defesa, o Dallas Cowboys focou na secundária durante o draft. O safety J.J. Wilcox foi selecionado na terceira rodada e o cornerback B.W. Webb na quarta. Com a saída de Gerald Sensabaugh e nenhum jogador decente no grupo, safety talvez seja a posição mais precária do Cowboys. Wilcox jogou como wide receiver antes de mudar para o lado defensivo na última temporada pela Universida de Georgia Southern. É um jogador atlético e extremamente físico, mas meio cru por causa do pouco tempo de experiência na posição. Precisa desenvolver melhor sua técnica e seu posicionamento. Pode jogar perto da linha de scrimage quanto marcando o jogo aéreo em profundidade. Deve competir pela titularidade desde já, participando da rotação da equipe. Já B.W. Webb teve uma carreira produtiva na Universidade de William & Mary. Anotou onze interceptações no tempo em que jogou na NCAA, mostrando seu grande faro de bola. Poderia ter sido selecionado no fim da segunda rodada, por isso o Cowboys conseguiu um bom valor com essa seleção. Tem habilidade como retornador e eventualmente pode desempenhar o papel caso o Cowboys precise.

Siga-nos no Twitter @NFLPick6
Visite a primeira Timeline Brasileira do Futebol Americano da NFL no facebook do NFL Pick6

Leave a Comment