BUFFALO BILLS – OFFSEASON 2013

Logo Buffalo Bills - Futebol Americano NFL Pick6

O que mudou:

  • Sairam: Shawne Merriman, DE (aposentadoria); Chris Kelsay, DE (aposentadoria); Kyle Moore, DE; Ryan Fitzpatrick, QB; Tarvaris Jackson, QB; Nick Barnett , LB; Kelvin Sheppard, ILB; George Wilson, S; Terrence McGee, CB; Andy Levitre, G; Chad Rinehart, G; Donald Jones, WR; David Nelson, WR
  • Contratados: Kevin Kolb, QB; Doug Legursky, G; Manny Lawson, OLB; Jerry Hughes, DE/OLB; Alan Branch, DT
  • Continuaram: Jairus Byrd, S (franchise tag); Colin Brown, OT; Bryan Scott, S/LB; Leodis McKelvin, CB; Tashard Choice, RB
  • Draft: 16. E.J. Manuel, QB, Florida State; 41. Robert Woods, WR, USC; 46. Kiko Alonso, ILB, Oregon; 78. Marquise Goodwin, WR; 105. Duke Williams, S, Nevada; 143. Jonathan Meeks, S, Clemson; 177. Dustin Hopkins, K, Florida State; 222. Chris Gragg, TE, Arkansas

 

Análise:

 

Doug Marrone Buffalo Bills - Futebol Americano NFL Pick6
Doug Marrone assumiu o comando do Buffalo Bills nesta intertemporada. (Frank Ordoñez |The Post-Standard)

Buffalo Bills foi outro time que trocou completamente sua equipe técnica durante esta intertemporada. Mandaram embora o headcoach Chan Gailey depois de três temporadas sem sucesso, e trouxeram para seu lugar o técnico da universidade de Syracuse Doug Marrone. Marrone vem com a missão de levar a equipe para os playoffs, coisa que não acontece desde 1999. A nova equipe técnica vem para tentar mudar a mentalidade do time para que o Bills volte a ser uma franquia competitiva.

Buffalo não fez muitas contratações durante essa época de agentes livres. Focaram mais em renovar com seus próprios jogadores do que em trazer atletas de outras equipes. Primeiro usaram a franchise tag no safety Jarius Byrd, que é um dos melhores jogadores da liga na posição. Os dois lados ainda estão conversando sobre uma extensão de contrato, mas ainda estão longe de chegar em um acordo. Além dele o time renovou com o cornerback Leodis McKelvin, que apesar de cumprir bem o seu papel na secundária, é um dos melhores retornadores da NFL.

O Bills fez uma troca durante esta offseason que mandou para o Indianapolis Colts o linebacker Kelvin Sheppard e trouxe Jerry Hughes. A equipe também contratou o outside linebacker Manny Lawson e o defensive tackle Alan Branch. A coisa em comum nessas contratações é que todos os três jogadores tem experiência tanto no esquema tático 4-3 quanto no 3-4. Acredito que o time tentará implementar um sistema defensivo híbrido, variando entre os dois estilos conforme o andar da partida.

Durante esta offseason, Buffalo teve grandes baixas em sua linha ofensiva. Os guards Andy Levitre e Chad Rinehart deixaram a equipe, apesar de terem jogado muito bem durante o último ano e devem fazer falta. Levitre é um dos melhores jogadores na posição em toda a liga, e sua ausência será sentida na linha ofensiva. Além deles, Buffalo também perdeu os recebedores David Nelson que trocou o time pelo Cleveland Browns e Donald Jones que foi para o rival de divisão New England Patriots. Ambos são bons jogadores, mas que podem ser facilmente substituídos. O ataque da equipe promete ser muito diferente daquilo que vimos ano passado, agora é torcer para que essa mudança seja para melhor.

O general manager Buddy Nix falou durante toda a intertemporada que o Buffalo Bills iria atrás do quarterback que fosse o futuro da franquia. Ryan Fitzpatrick nunca foi a solução, apesar de ter feito bons jogos ele foi extremamente inconsistente em sua carreira pelo Bills. Além disso cometia muitos turnovers nos momentos mais importantes. A chegada de Kevin Kolb não tem nada a ver com o futuro da posição na franquia, ele vem para ser usado como reserva. Já provou em duas temporadas com o Arizona Cardinals que não tem condições de assumir a liderança de um equipe.

EJ Manuel Buffalo Bills - Futebol Americano NFL Pick6
EJ Manuel foi o primeiro quarterback a ser escolhido no Draft 2013. (Mike Ehrmann | Getty Images)

No draft de 2013, o Buffalo Bills espera ter encontrado a solução para os quarterbacks que Buddy Nix havia falado. A equipe de Buffalo trocou com o St. Louis Rams a oitava escolha do draft, pelas escolhas de número 16, 46 e 222. Tendo a 16º escolha em mãos, o Bills chocou a todos selecionando o quarterback E.J. Manuel de Florida State. Todos sabiam que o time iria buscar o jogador que fosse o futuro na posição, mas ninguém acredita que Manuel possa ser esse jogador. O novato ainda é muito cru e inconsistente, precisa desenvolver seu poder de decisões e sua precisão nos lançamentos. Cometeu muitos erros durante sua carreira em Florida State, além de ter um certo costume de errar seus alvos. Por outro lado, tem a vantagem de ser muito bom com as pernas. Corre muito bem e tem grande facilidade de sair do pocket. Pode ser uma ótima arma se o time resolver adotar o read-option. Na minha opinião, Geno Smith, Matt Barkley e Ryan Nassib (que jogou com o técnico Doug Marrone em Syracuse) são quarterbacks mais prontos, e poderiam ter sido selecionados antes de E.J. Manuel. Mas, provavelmente, a equipe técnica de Buffalo deve ter visto algo que ninguém mais viu.

Com as saídas de David Nelson e Donald Jones, e buscando mais consistência de seus recebedores que não tenha o nome de Steve Johnson, o Bills selecionou os wide receivers Robert Woods na segunda rodada e de Marquise Goodwin na terceira. Woods teve um ano maravilhoso em 2011 em USC, pegando 111 bolas para 1292 jardas e 15 touchdowns. Mas infelizmente em 2012 sofreu algumas contusões e contou com a inconstância do quarterback Matt Barkley, o que fez sua produção diminuir consideravelmente. Independente do ano ruim, o novato tem muito talento, é rápido e preciso em suas rotas, e vem para ser o recebedor número dois da equipe jogando do lado oposto de Steve Johnson. Já Marquise Goodwin não teve os números expressivos de Woods na universidade, mas é um jogador muito mais veloz. Precisa melhorar seu desempenho nas rotas, mas graças a sua velocidade pode se sobressair alocado no slot. Com a ideia de adicionar mais alvos para E.J Manuel, o tight end Chris Gragg foi selecionado na sétima rodada. poderia ter sido escolhido muito antes se não fosse pela contusão que o limitou a 5 jogos ano passado. É bom recebedor e também pode ajudar como bloqueador, sendo alocado como fullback em alguns momentos. Chega para ser o parceiro de Scott Chandler.

A seleção do inside linebacker Kiko Alonso no draft tem como objetivo trazer ajuda para a segunda pior defesa contra o jogo corrido. Vindo da Universidade de Oregon, Alonso não evita o contato e tem costume de acertar seus adversários com força. Defende muito bem o ataque terrestre, mas graça a sua boa altura pode ser usado na cobertura contra o jogo aéreo. Buffalo Bills também pensou em melhorar a secundária, trazendo um par de safeties com as suas escolhas de quarta e quinta rodada. Duke Williams de Nevada, é um safety versátil que pode jogar em qualquer posição da secundária. É muito bom no suporte na defesa contra o jogo corrido e tem boa técnica para acertar o adversário, visto seu total de 292 tackles durante sua carreira universitária. Já o segundo safety selecionado, Jonathan Meeks vindo da Universidade de Clemson, é mais alto e menos versátil. Tem boa velocidade para a posição, e vai fazer parte da rotação da equipe. Também irá contribuir desde já com o time de especialistas.

Com a renovação do kicker Rian Lindell no ano passado, escolher Dustin Hopkins na sexta rodada não faz muito sentido. Lindell teve um ótimo ano convertendo field goals durante a última temporada, apesar de não ser o melhor chutando kickoffs. Já Hopkins tem uma perna poderosa, e liderou a NCAA em pontos ano passado. Se Buffalo for carregar dois chutadores na sua equipe, Lindell deverá ter a função de converter os field goals e Hopkins será encarregado dos kickoffs.

Siga-nos no Twitter @NFLPick6
Visite a primeira Timeline Brasileira do Futebol Americano da NFL no facebook do NFL Pick6

Leave a Comment